• Avaliação por Bioimpedância

    Avaliação por Bioimpedância

  • Suplementação Esportiva

    Suplementação Esportiva

  • Obesidade Infantil

    Obesidade Infantil

  • Emagrecimento

    Emagrecimento

  • Redução da Gordura Abdominal

    Redução da Gordura Abdominal

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Medicina Ortomolecular

Rede Bahia
Medicina Ortomolecular
Globo Repórter
Saúde e Qualidade de Vida
Dieta Saudável
Tentação no Supermercado

Últimas Matérias e Artigos

Quer Emagrecer?

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6

BULIMIA

Bulimia
A cada ano mais e mais adolescentes e jovens do sexo feminino (90% dos casos) são vitimadas de graves transtornos do comportamento alimentar, anorexia e BULIMIA, que muitas vezes colocam sua vida em risco. O mito e a procura do "corpo ideal" leva essas pessoas a fazerem "regimes" drásticos que desempenham papel fundamental no desencadeamento destes transtornos.
 
1. O que é bulimia ?
Bulimia é uma grave alteração do comportamento alimentar, caracterizada pela presença dos ataques de comer , provocados por ansiedade e privação de alimentos,(ingestão de grande quantidade de comida em um período curto de tempo, de forma compulsiva) e por comportamentos compensatórios (provocar o vomito, fazer exercícios de forma compulsiva, utilizar laxantes e diuréticos, fazer jejuns entre os ataques ou uma combinação destes métodos). Após o abuso alimentar a pessoa sente-se culpada, inadequada, e elimina o "excesso" através dos comportamentos descritos.
 
Muitas vezes é difícil detectar a bulimia. A pessoa come compulsivamente , desintoxica as escondidas e mantém um peso normal ou levemente acima. A vergonha e a sensação de só ela ter o problema faz com que se isole e mantenha a doença oculta por anos a fio. Por isso procura ajuda por volta dos 30-40 anos, quando seus hábitos estão muito arraigados. A idade de maior incidência é a partir dos 18 anos, mas existem casos anteriores.

2. Quais são as conseqüências da bulimia?

A bulimia pode prejudicar seriamente o organismo da pessoa, podendo levar à morte. Em raros casos há inclusive a ruptura do estômago. Os métodos compensatórios podem resultar em insuficiência cardíaca por déficit de sais minerais, como potássio. O vômito pode provocar desgaste do esmalte dos dentes, a introdução dos dedos na garganta gera ulcerações nas mãos. Ocorre inflamação do esôfago e intumescimento das glândulas salivares, irregularidades menstruais e diminuição do interesse sexual.
Pessoas com bulimia podem apresentar dependência de drogas, álcool e de furto compulsivo. Depressão ocorre em 50 a 75% dos casos. São mais vulneráveis a outros problemas psicopatológicos como pânico ,ansiedade e transtorno obsessivo-compulsivo. Tais problemas, associados a tendências impulsivas, aumentam o risco de comportamento suicida. Apresentam baixa auto-estima, sentimentos de desesperança e pavor de tornarem-se gordas. Os ataques de comer constituem maneiras inadequadas de lidar com stress, ansiedade e depressão.
1 a 3% das jovens de 18 anos em diante são bulímicas. Porém estes números estão sub avaliados.A incidência é muito maior do que os índices oficiais já que a bulímica pode permanecer sem ser notada por anos a fio, pois, diferentemente da anoréxica, apresenta peso normal ou levemente alterado.

3. Quais os sinais de advertência?

Devido ao aspecto físico, é mais fácil desconfiar que alguém de nossas relações seja anoréxica. Já a suspeita de bulimia é mais difícil de ser comprovada. MAS ATENÇÃO: A VIDA DE UM ENTE QUERIDO PODE ESTAR EM JOGO!
Sua filha passa horas no banheiro após as refeições? Fica muito tempo checando-se ao espelho? Está sempre sem dinheiro embora sem razão para isso? Ou você própria está preocupada porque pensa demais na próxima refeição, no próximo excesso alimentar ou nos gramas que engordou por ter dado uma mordida num "alimento proibido?".

O Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA reconhece os seguintes sinais de advertência para bulimia nervosa:

  • Abusos alimentares: não é facilmente detectável na bulímica já que muitas vezes ingere o alimento às escondidas. . MAS, se alguém de sua família ou amigos parecer estar comendo demais ou se sua alimentação parecer fora de controle, fique alerta.
  • Vômitos, laxantes, diuréticos: claro que não dá para observar esses comportamentos diretamente. MAS, se alguém de sua família vai para o banheiro constantemente após as refeições, se passa muito tempo lá, ou utilizar repetidamente laxantes e/ou diuréticos, DESCONFIE.
  • Exercícios físicos intensos compensatórios (com a intenção de queimar as calorias ingeridas num excesso alimentar, acompanhado de medo mórbido de engordar) Você pode estar diante de um caso de BULIMIA!
  • Ganho ou manutenção de peso mesmo diante de dieta e/ou exercício físico: quem conta as calorias de tudo o que come, mas nunca emagrece, pode estar tento "ataques de comer", um dos componentes da bulimia. De outro lado, a pessoa que come aparentemente bem, mas parece sempre muito magra, pode estar vomitando, exercitando-se demais ou jejuando quando não se está por perto ou, quem sabe, combinando os três métodos.
  • Roubo de álcool ou drogas, furtos compulsivos: claro que tais comportamentos, isoladamente, não significam que alguém seja bulimia. Mas são comuns entre pessoas com bulimia.
  • Depressão: a depressão está presente em muitos quadros clínicos e, isoladamente, não é indício de bulimia. MAS, 50 – 75 % das bulimias já instaladas ou em desenvolvimento tem depressão.
  • Inchaço das maçãs do rosto ou gânglios no pescoço: o vomito provocado freqüentemente faz com que as glândulas salivares inchem nestas regiões.
  • Marcas ou cicatrizes no dorso das mãos: podem ser indícios que a pessoa possivelmente esteja forçando o vômito e, ao introduzir as mãos na garganta provoca esta cicatriz por atrito com a arcada dentária.

4. Qual o tratamento para a bulimia?

O tratamento da Bulimia é interdisciplinar e engloba médicos, psicólogos e nutricionistas. A bulimia é mais facilmente tratável quanto mais cedo for descoberta. NÃO SE ENVERGONHE! SE VOCÊ TEM FILHA, ALUNAS, AMIGAs, PARENTES OU CONHECIDAS COM ESSAS CARACTERÍSTICAS, NÃO EXITE! PROCURE AJUDA! É PREFERIVEL PECAR POR EXCESSO DO QUE CORRER RISCOS!


Endocrinologista - Dra. Paula Rosado
Barra da Tijuca & Centro - Rio de Janeiro - RJ
Confira abaixo nossos endereços e telefones

SUPLEMENTAÇÃO NO ESPORTE

Suplementacao no Esporte

Atualmente a suplementação tem sido muito utilizada em vários esportes para auxiliar uma alimentação deficiente e para melhorar a performance, obtendo-se, assim, um melhor resultado. Mas você sabe qual suplemento usar no esporte que você pratica?

Usar ou não suplementos esportivos é uma dúvida frequente de praticantes de várias modalidades esportivas. A suplementação, quando feita de forma indiscriminada, pode fazer com que a quantidade diária de nutrientes seja superior à necessária, podendo prejudicar órgãos como o fígado e os rins.

De forma geral, a necessidade de nutrientes dos atletas difere em quantidade quando comparada aos individuos sedentários. Muitas pessoas utilizam suplementos para substituir refeições, conduta que não está adequada.

A suplementação é indicada quando a ingestão de alimentos não consegue alcançar as necessidades individuais e depende da freqüência dos treinos e da atividade em questão. Em algumas situações, o suplemento pode ser associado a uma refeição para garantir o aumento de um nutriente específico ou para tornar a dieta mais viável dentro da rotina diária de cada atleta.

Para orientar o consumidor e garantir maior controle, o Ministério da Saúde dividiu os suplementos em grupos. A seguir, uma síntese da função de cada um destes grupos:

Energéticos: podem ser usados antes, durante ou após treinos e provas, dependendo das características do indivíduo e do esporte. Fornecem basicamente energia, vinda sobretudo de carboidratos, e são encontrados em pó ou gel. São exemplos: maltodextrina, dextrose.

Protéicos: indicados para completar a ingestão proteica da dieta. O horário de consumo depende de uma série de fatores e muitas vezes são indicados após o treino. Podem ser encontrados em pó, gel ou barra. Fazem parte do grupo o Whey Protein, a Albumina, a Caseína e o Isolado Proteico de soja.

Compensadores: contém carboidratos, proteínas e lipídios, além de vitaminas e minerais. Encontrados em pó ou líquido. Indicados para os casos de desnutricão ou para atletas com necessidades aumentadas devido ao estad o fisiológico, limitações na dieta ou tipo de exercício.

Repositores: São bebidas esportivas com o objetivo de repor água, eletrólitos e carboidratos de forma mais rápida, evitando a desidratação de uma atividade intensa/longa. Indicado para corredores, ciclistas.

Aminoácidos: fazem parte deste grupo os aminoácidos indicados para aumento da massa muscular. Como exemplo temos os BCAAs, nome dado aos aminoácidos de cadeia ramificada (Leucina, Isoleucina e Valina). Os BCAAS são indicados para recuperação muscular e para exercícios de longa duração.

Compostos Termogênicos: Estes contêm uma ou mais substâncias que aceleram o metabolismo, como a cafeína ou o guaraná em pó. Podem contribuir para acelerar a queima de gordura.

Completam a lista de suplementos, os precursores de hormônios e os compostos de vitaminas, minerais e antioxidantes.

A suplementação sempre deve ser acompanhada por um profissional e associada a uma dieta já planejada para a modalidade esportiva em questão.

Esportes de resistência conhecidos como esportes de longa duração(triátlon, maratona e ciclismo de estrada por exemplo), têm um gasto calórico muito elevado, diferentemente dos esportes de explosão ou intermitentes, como o futebol, voleibol e basquete.
As suplementações são diferenciadas de acordo com a modalidade do esporte, tanto durante, quanto após o exercício.

A partir de agora falaremos um pouco sobre alguns esportes individualmente:

Jiu-Jitsu
A alimentação do atleta de jiu-jítsu é muito importante para que lhe seja garantido um bom desempenho nos treinos e competições. A avaliação dos hábitos alimentares e rotinas de treinamento (tanto antes, quanto pós-competição), com uma atenção especial à manutenção do peso, são essenciais. Estes atletas são divididos em categorias de acordo com o seu peso, sexo, idade e faixa (grau).

A suplementação aliada a uma dieta adequada auxilia os atletas a obterem uma recuperação mais rápida, reduz a fadiga e fornece os nutrientes necessários para o seu organismo.

Musculação
A musculação é uma atividade procurada para complementar o trabalho muscular da vários outros esportes. Mas também é muito procurada devido aos resultados estéticos que proporciona, como ganho de massa muscular e emagrecimento.

Para o emagrecimento, a suplementação deve ser feita com o objetivo de aumentarmos a massa magra, reduzindo o percentual de gordura corporal. Nestes casos, a balança não é o melhor método para avaliarmos a perda de peso. A utilização do adipômetro fornecerá informações a respeito do percentual de gordura perdido.

Ciclista
O ciclista precisa de um equilíbrio no consumo de carboidrato, proteínas, vitaminas e sais minerais. Não podemos confundir o ciclista de alto rendimento com o ciclista que utiliza sua bicicleta como forma de lazer. A hidratação é fundamental em ambos os casos, porém o ciclista de alto rendimento se beneficiará com uma suplementação após a atividade, evitando o desgaste muscular.


Natação
A natação é um dos esportes mais completos que conhecemos. A sua prática exercita todos os grupamentos musculares e exige muito do nosso organismo.

A natação inclui atletas de resistência e atletas de velocidade. A suplementação será individualizada de acordo com a modalidade esportiva e biotipo do nadador.

Vôlei de Praia
O Voleibol de Praia é um esporte com características físicas intermitentes que usa velocidade, resistência e potência. Por esse motivo, durante os jogos sob alta temperatura, é muito importante uma hidratação adequada para que o risco de hipertermia seja evitado. Além disso, a suplementação para o esporte é importante durante os treinamentos para que não sejam perdidas as características físicas de força, velocidade e potência. Durante os treinamentos, a reposição de eletrólitos não pode ser esquecida. A suplementação proteica é indicada após o exercício.

Estas foram algumas dicas de suplementação. De acordo com a sua atividade física, procure orientação profissional e melhore o seu rendimento!


Endocrinologista - Dra. Paula Rosado
Barra da Tijuca & Centro - Rio de Janeiro - RJ
Confira abaixo nossos endereços e telefones

SÍNDROME METABÓLICA

Sindrome Metabolica 

Atualmente além de haver uma preocupação com o peso existe uma forte preocupação em relação ao diâmetro da cintura. Saiba porque o padrão maçã está mais relacionado ao infarto, diabetes, HAS, dislipidemia e outras doenças.

A Síndrome Metabólica (SM) é uma condição de risco cardiovascular, relacionada com resistência à ação da insulina e obesidade abdominal.

A SM tem correlação forte com doença cardiovascular, aumentando a mortalidade geral em cerca de 1.5 vezes e a cardiovascular em 2.5 vezes.

Um recente consenso ("Adult Treatment Panel III, ATP III) sugere que os indivíduos portadores de três ou mais dos seguintes critérios devam ser considerados como portadores de síndrome metabólica:

1.Obesidade abdominal (visceral), medida ao nível do umbigo: cintura > 102 cm em homens e > 88 cm em mulheres;
2.Hipertrigliceridemia: > 150 mg/dL
3.HDL colesterol: < 40 mg/dL em homens e < 50 mg/dL em mulheres;
4.Hipertensão arterial sistêmica > 130/85 mmHg;
5.Glicemia de jejum: > 110 mg/dL (recentemente, a Associação Americana de Diabetes sugeriu que os valores de normalidade para glicemia de jejum fossem reduzidos para, no máximo, 99 mg/dL, sendo possível que esse critério seja adotado também para síndrome metabólica em um próximo consenso da ATP III).

Em abril de 2005, a International Diabetes Federation (IDF) lançou uma nova definição para Síndrome Metabólica. A entidade espera que o método adotado represente uma ação preventiva mais agressiva, facilitando a detecção precoce.

Os critérios são:
1.Obesidade abdominal (visceral), medida ao nível do umbigo: cintura > 94 cm em homens e > 80 cm em mulheres;
2.Hipertrigliceridemia: > 150 mg/dL
3.HDL colesterol: < 40 mg/dL em homens e < 50 mg/dL em mulheres;
4.Hipertensão arterial sistêmica > 130/85 mmHg;
5.Glicemia de jejum: > 100 mg/dL

Conclusão: Reduzir o diâmetro da cintura através da reeducação alimentar, atividade física e com uso de medicamentos adequados quando necessários, implica em redução do risco cardiovascular e vida mais saudável!!!


Endocrinologista - Dra. Paula Rosado
Tijuca (Praça Saens Peña) & Centro - Rio de Janeiro - RJ
Confira abaixo nossos endereços e telefones

ANOREXIA NERVOSA

Anorexia Nervosa
Anorexia nervosa é um distúrbio alimentar resultado da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves.

A pessoa se olha no espelho e, embora extremamente magra, se vê obesa. Com medo de engordar, exagera na atividade física, jejua, vomita, toma laxantes e diuréticos.

É um transtorno que se manifesta principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também em homens.

Às vezes, os pacientes anoréticos chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição e o índice de mortalidade chega a atingir 15% a 20% dos casos. 

Sintomas da Anorexia

  • Perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa. Nos casos mais graves, o índice de massa corpórea chega a ser inferior a 17;
  • Recusa em participar das refeições familiares. Os anoréticos alegam que já comeram e que não estão mais com fome;
  • Preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Esses pacientes chegam a ingerir apenas 200kcal por dia;
  • Interrupção do ciclo menstrual (amenorreia) e regressão das características femininas;
  • Atividade física intensa e exagerada;
  • Depressão, síndrome do pânico, comportamentos obsessivo-compulsivos;
  • Visão distorcida do próprio corpo. Apesar de extremamente magras, essas pessoas julgam-se com excesso de peso;
  • Pele extremamente seca e coberta por lanugo (pelos parecidos com a barba de milho).

Causas da Anorexia

Diversos fatores favorecem o aparecimento da doença: predisposição genética, o conceito atual de moda que determina a magreza absoluta como símbolo de beleza e elegância, a pressão da família e do grupo social e a existência de alterações neuroquímicas cerebrais, especialmente nas concentrações de serotonina e noradrenalina.

Recomendações para Anoréticos

  • Algumas profissões são consideradas de risco para a anorexia. Bailarinas, jóqueis, atletas olímpicos, precisam estar atentos para a pressão que sofrem para reduzir o peso corporal;
  • A faixa etária está baixando nos casos de anorexia. A família precisa observar especialmente as meninas que disfarçam o emagrecimento usando roupas largas e soltas no corpo e se recusam a participar das refeições em casa;
  • Às vezes, os familiares só se dão conta do que está acontecendo quando, por acaso, surpreendem a paciente com pouca roupa e vêem seu corpo esquelético, transformado em pele e osso. Nesse caso, é urgente procurar atendimento médico especializado;
  • O ideal de beleza que a sociedade e os meios de comunicação impõem está associado à magreza absoluta. É preciso olhar para esses apelos com espírito critico e bom senso e não se deixar levar pela mensagem enganosa que possam expressar;
  • Se o paciente anorético estiver correndo risco por causa da caquexia e dos distúrbios psiquiátricos deve ser internado num hospital para tratamento médico.

Tratamento da Anorexia

A reintrodução dos alimentos deve ser gradativa. Caso contrário provocaria grande sobrecarga cardíaca. Às vezes, é necessária a internação hospitalar para que essa oferta gradual de calorias seja controlada por nutricionistas.

Não há medicação específica para a anorexia nervosa. Medicamentos antidepressivos podem ajudar a atenuar sintomas depressivos, compulsivos e de ansiedade. Em geral, o tratamento de pacientes anoréticos exige o trabalho de equipe multidisciplinar.


Endocrinologista - Dra. Paula Rosado
Barra da Tijuca & Centro - Rio de Janeiro - RJ
Confira abaixo nossos endereços e telefones

DISTÚRBIOS DA MENOPAUSA

Disturbios da Menopausa

O QUE É MENOPAUSA?

A menopausa consiste da ausência da menstruação por um intervalo de 1 ano em decorrência da falta da produção do estrogênio pelo ovário, fato que ocorre em torno dos 50 anos. Ela pode ser espontânea ou cirúrgica (após a retirada dos ovários).

Os ovários produzem, principalmente, estrogênio e progesterona. Por volta dos 40, 50 anos da mulher, a progesterona é produzida em menor quantidade e o primeiro sintoma é a irregularidade menstrual.

Essa fase é denominada de climatério ou pré- menopausa. Com o passar do tempo, o estrogênio também começa a faltar até culminar com a menopausa.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA?

No período do climatério, os sintomas são basicamente irregularidade menstrual, irritabilidade, facilidade maior para ganhar peso e insônia.

Na menopausa, aparecem os calores (ondas de calor ou fogachos) que podem ter uma intensidade diferente de mulher para mulher. Os fogachos são intensos, em geral, ascendentes e de curta duração.

Além disso há uma redução do desejo sexual, ressecamento vaginal, e dificuldade na relação sexual. Além do ressecamento vaginal, a pele também fica seca, os cabelos quebradiços e as unhas fracas, há maior irritabilidade, nervosismo e muita ansiedade e ganho de peso com acúmulo maior no abdome.

A longo prazo há aumento de colesterol, risco de problemas cardíacos e osteoporose.

QUANDO SE DEVE INICIAR O TRATAMENTO?

Quando a mulher percebe que a sua menstruação já não é tão regular (no climatério) como antes, provavelmente é a hora de iniciar a reposição da progesterona.

E mais tarde incluir o estrogênio ao tratamento.

QUAL É O TRATAMENTO ?

O tratamento é repor os hormônios deficientes na dosagem que corrija os sintomas.

Existem vários tipos de estrogênio e de progesterona. Os endocrinologistas são favoráveis a uma reposição baseada na fisiologia do organismo, ou seja a progesterona e estrogênio naturais, utilizados na mesma dose que o ovário estaria fabricando. Além disso, os hormônios naturais têm menos efeitos colaterais.

Os estrogênios existem nas formas de adesivo, gel ou comprimidos. O natural, igual ao que o ovário produz, existe em adesivo ou gel.

QUAIS SÃO OS EFEITOS COLATERAIS ?

Edema, dor nas mamas, pernas pesadas e sono são efeitos colaterais que podem surgir no início da reposição hormonal que podem melhorar com o ajuste de dose

QUAIS SÃO OS RISCOS?

Naquelas mulheres que são usuárias de longo tempo de reposição hormonal (há mais de dez anos), observa-se um pequeno aumento do risco relativo de câncer de mama. Vale lembrar que o aumento da detecção de câncer de mama pode ser devido a um acompanhamento mais cuidadoso destas mulheres.

Mas, ao mesmo tempo, deve-se levar em conta que em relação à doença coronariana e a cardiovascular, há uma diminuição de risco de 50%. É importante ressaltar a existência de um número muito maior de casos de morte por doença cardiovascular do que de problema de câncer de mama. O que se verifica é um aumento da incidência de câncer de mama e não da mortalidade em pacientes que fazem a reposição hormonal.

Os que foram detectados eram cânceres menos agressivos, facilmente tratados e curados. Vale lembrar que a mulher usuária da reposição hormonal é muito mais acompanhada, monitorizada, com isso o tratamento precoce evita lesões tardias e agressivas.

QUAIS SÃO AS CONTRA-INDICAÇÕES?

Deve ser evitada em pacientes com histórico de flebite em uso de estrogênio oral (anticoncepcional oral) ou gravidez.

A outra contra-indicação ocorre nos casos de câncer dependente de estrogênio (câncer de ovário, de mama e de útero).

O uso da progesterona também é discutível no caso de pacientes sem útero. Segundo o estabelecido pelo Colégio Americano de Obstetras e Cirurgiões é que a mulher que retirou o útero não precisa de progesterona.


Endocrinologista - Dra. Paula Rosado
Barra da Tijuca & Centro - Rio de Janeiro - RJ
Confira abaixo nossos endereços e telefones

Visitantes

4.png5.png8.png8.png3.png9.png
Hoje7
Ontem141
Esta Semana606
Este Mês730
Todos458839